quarta-feira, 29 de março de 2017

Quem se ajuda a si próprio, ajuda quem o ama...

Há pessoas que falam, falam, mas nada fazem por si mesmos, preferindo esperar que do Céu caia um Maná celestial que, surpreendentemente, por obra e graças do Espírito Santo, acaba por acontecer.

Queixam-se que falta para comer, mas depois não falta o telefone bonito, a televisão gigante e o jogo da bola ao fim de semana.

Onde está a justiça?

Muitos passam pela vida como um foguete expresso, outros vêem a vida passar por eles como uma carroça puxada por um Burro velho... E o Burro sou eu ?!...


Tá?!...

terça-feira, 28 de março de 2017

Que venha a Protecção Divina...

Publiquei há dias num Blog, que um dos efeitos que a depressão pode conduzir  é a eventualidade   de se levar, a qualquer momento, a um desfecho fatal, o suicídio

Lembro-me, por exemplo, de um facto que se passou já há muito tempo, em que um Senhora, de meia idade, um dia, vivendo ainda no Siroco, aproximou-se de mim no momento em que o comboio  já  vinha a caminho, bem perto do edifício, e que, em lágrimas, manifestou-me um grande desgosto   pelo facto de uma das passageiras que ia em viagem dentro desse comboio, era uma das suas filhas, que, zangada, resolvera ir residir em Espanha. Animei-a, invocando que, com o tempo, as coisas  iriam melhorar, pois zangas em família, mais dia menos dia, compor-se-iam.

Na manhã seguinte, quando me aproximava da entrada do referido  prédio, estavam muitos policias na escadaria, que me impediram, momentaneamente, o acesso ao interior da entrada do Siroco.

Vim a saber, momentos depois, que uma Senhora estava nas traseiras do edifício, pendurada num gancho, com uma corda envolta ao seu pescoço, já morta, derivada ao seu enforcamento. Fui ver, e dei de caras com a mesma Senhora com quem tivera conversando, no dia anterior.... Vim a saber que tudo fora motivado por meras questões familiares!

Não há dúvida, que, como o ditado diz, "entre marido e mulher, não metas a colher", as coisas nem sempre têm origem nupcial,mas pode haver muitos casos em que certos desentendimentos são a principal causa de dizer um adeus à vida... como, por exemplo, o relato que se chega a ler mesmo, na Internet, como nos casos que, parcialmente, se reproduz de seguida:


Parece incrível... mas, infelizmente, situações semelhantes, vêm quase que diariamente publicadas nos jornais diários...

É  incrível como a Depressão chega a levar a Mulher  a atirar-se ao rio com o filho ao colo. Que estranho tipo de suicídios leva uma Mãe a matar-se com um filho ao colo !...


Que Nossa Senhora nos proteja de tanta crueldade...

                                                       Eis porque chora Nossa Senhora...


Tá?!...

A foice que mais queremos que seja destruida - a da maldade.

Observei que no facebook de hoje,  28 de Março,  em  publicada esta mensagem, por parte de Pessoa em que se nota ser possuidora de bom coração.


Hoje em dia a orquídea é uma flor que está associada à sexualidade e beleza feminina. Por esse motivo, as populares tatuagens de orquídeas  são mais comuns em mulheres. A orquídea pode ter variadíssimos significados, amor, desejo, luxúria, perfeição, pureza espiritual, força, luxo, beleza, etc. Cores diferentes têm significados diferentes.. Portanto, a orquídea é uma flor que pode significar amor, autoridade, poder, desejo e sedução.

Desde o tempo  em que a minha saudosa Mulher (Alvarina Teresa) cuidava desta planta, que com todo o carinho, todos nós (Família) pretendemos mantê-la sobreviva, pois faz-nos recordar os belos momentos de PAZ e AMOR, que esta orquídea (a seguir fotografada) nos incutia.





Assim, aproveitando, como pano de fundo,  a imagem inicial, que inspirou a emissão deste blog, , , na base da flor (orquídea),  igualmente aqui vão saudações e desejo para que, a TODOS ... a foice da maldade seja totalmente desfeita. e destruída. !... O.K ?!...

Bem hajam os bons corações.... que, felizmente, ainda os há !...

Tá?!...

segunda-feira, 27 de março de 2017

Não é um alerta... mas assusta !

Fiz há dias uma publicação "bloguista" em que inseri um sub-titulo publicado na Internet, relatando  que "Estigma afasta idosos do tratamento da depressão", cuja doença pode ter consequências graves e levar a um desfecho fatal - o suicídio

Acabo de ser surpreendido com a leitura que Jornal "I" hoje publica, dando conta, em primeira página, do seguinte:


De imediato a ter sido surpreendido no facebook a publicação da capa dos jornais do dia,  desloquei-me à papelaria e adquiri o Jornal "I", que acima reproduzo, fotograficamente, com a devida vénia e respeito.

Fiquei ainda mais surpreendido, à medida que fui lendo as noticias, com a publicação jornalística extremamente semelhante à que relatei no meu blog acerca do mesmo tema, isto é, assunto referido à doença depressiva (depressão aguda), sobretudo quando ataca os respeitáveis Séniores, que os leva ao extremo da sua existência física neste mundo, suicidando-se...

Eis, então, o relato fotocopiado:
.

.


Sem pretender fazer propaganda jornalística, entendo que é um assunto de extrema gravidade  para ser discutido em plena praça pública, pois é um desfecho de vida causado muitas das vezes, em espaço de minutos, entendendo o pôr fim à vida como remédio santo para solucionar "dramas" que nos assomam ao cérebro, em situações da falência intelectual, por vezes  abruptamente instantânea, em meros segundos.

Não Tá?!... !....

sábado, 25 de março de 2017

Carta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa.

Excelentíssimo Senhor Doutor  Marcelo Rebelo de Sousa.

Não é a primeira vez que lhe dirijo uma carta aberta, por esta via, mas  sim, uma segunda,  sobre a qual aguardo uma resposta como a que  igualmente teve gentileza de me  dirigir, relativamente à primeira. Neste momento,  sozinho em casa, estou aguardando o resultado do encontro de futebol, para daqui a umas horas tomar conhecimento se foi Portugal o vencedor do encontro com a equipa da Hungria, como, aliás, seria o meu desejo, como Português de Angola, que sou, e que vai a caminho dos noventa anos de idade, com desempenho de uma vida laboral exemplar, documentalmente comprovado.

Dirijo-lhe este "bloguismo" por razões que advêm de certas conversas que cheguei a ter, há longos anos atrás, com um irmão meu, também nascido em Angola, e que agora repousa eternamente no campo etéreo em Luanda. Este meu saudoso e estimado irmão, foi muitos anos funcionário da Marconi, em Angola, onde exerceu funções em que lhe era exigido o cumprimento  do Segredo Profissional.

Contudo, durante umas férias  em que se deslocou a Portugal, tínhamos  muitas conversas, e, recordo-me que  num certo dia, mas já  há longos anos atrás, saiu-se com esta...  a propósito das Presidenciais, que nem  sequer estavam  na altura em discussão,

Conheço o feitio de muita Gente em que perpassavam os seus nomes, pelas vias de comunicação  ultramarinas, e de uma Pessoa que sempre supus ser capaz de  levantar de novo o esplendor de Portugal,  e  que poderia muito bem vir a ser Presidente da República Portuguesa, chama-se
Marcelo  Rebelo de Sousa... e parece que já  previa e adivinhava o que veio mais tarde, na realidade a suceder..

Senhor Presidente: Desculpar-me-á de vir agora com teorias  que a minha experiência de vida laboral e administrativa me "acoitam", mas não resisto à tentação de lhe querer demonstrar, em minha opinião, que existem três factores, aos quais a imprensa pouco liga:

1 -  EXPLORAÇÃO  PETROLÍFERA
2  - CONSTRUÇÃO  CIVIL.
3  - QUE  NOS HOSPITAIS , OS "SÉNIORS" NÃO SEJAM  MANTIDOS COMO "LIXO..."

Quanto à primeira, recordo que,  vivendo  na data  em Angola, assisti aos primeiros repuxos  de petróleo, que emergiram do solo, junto à Foz do Rio Cuanza, cuja valorização  do País, Angola, a partir daí, cresceu e evoluiu com dimensões e riquezas universais. Aqui em Portugal, porém a coisa parece evoluir ao contrário....

Quanto ao segundo caso,  é uma tristeza observarmos que por todo o País, subsistem valiosas  obras iniciadas mas que estão há anos paralisadas. Que se passa ?

Procurou-se alojamento para aqueles que quase dão a entender que são os SEM ABRIGO, não havendo hipóteses de os albergar, a preços acessíveis,  dada a ausência de obras que poderiam satisfazer e colmatar  estas necessidades humanas...

Quanto ao terceiro ponto, ai meu Deus, tantos queixumes que se ouvem, por parte de doentes  já  muito idosos, e  quase que  à beira da morte, se sentem  abandonados. Que se estabeleçam condições humanas para situações  desta natureza.

Os meus respeitosos cumprimentos.

Armando J.C.F. Baptista. - Olhão.
(Bancário Reformado,com a pensão mínima no sector, a caminho dos 90 anos de idade.)

Viva  Portugal !

 (E.T.  Portugal venceu por 3 /0 - (Milagre de Fátima)). 21.37 - 25/03/2017..).

Respondendo a comentários, "subscritos por Anónimos"....

Já são  passados  alguns anos que recorri à Internet (processo  informático - via bloguismo),  para afugentar a solidão e o isolamento que emergem  quando  acontece  o  falecimento  rápido    da Pessoa com quem fora celebrada uma feliz união matrimonial, há mais de sessenta anos, como, aliás   sucedeu no meu caso pessoal. Estou à beira dos noventa (90) anos de idade, com uma vida de trabalho, sempre exemplar, documentalmente comprovado.

Ultimamente, talvez por motivos saudosos, inexplicáveis, têm passado pela minha memória. imaginações que me levam a "sonhar" que continuo sentindo a presença ainda viva, da que mais amei na vida, a saudosa Esposa (Alvarina Teresa).

Pelo  que li,  de artigos  especializados,  isto deve ser o resultado de uma doença mental proveniente de um isolamento terrivelmente  silencioso que ocorre quando se passam, sozinho, horas e horas seguidas, sentado num sofá, sem ter com quem falar, ou conversar. Afirmam os entendido que é resultante de uma doença mental, ou seja uma depressão que afecta milhares de pessoas.

Chegaram a conclusão que isto resulta de uma interacção complexa de factores sociais, psicológicos e biológicos. Dizem até que esta situação doentia pode ter consequências graves e levar a um desfecho fatal, o suicídio.

Dizem até que este tipo de doença envolve episódios, recorrentes, perda de apetite, falta de interesse, energia e motivação para fazer actividades sociais, ansiedade, perturbações frequentes de sono, sintomas de culpa e baixa auto-estima.

É curioso que já cheguei a sentir-me afectado, em determinada situações difíceis, na vida, como algumas que acima são reportadas, em que há estigmas que afastam idosos do tratamento da depressão.  Há situações que nos levam, por vezes, a recorrer e a pensar até  ao extremo de se   praticar  o suicídio, como aliás, até na própria imprensa jornalística, por vezes vem anunciada.

Ora, em  tempos fiz um blog, reportando este   mesmo tema, o qual  chegou a assustar alguém, pensando que  eu estaria  era a querer  filosoficamente, dar conta que este seria o melhor meio para  afugentar o isolamento de que me queixei no inicio deste blog. Julgou, certamente, até, que eu iria suicidar-me...

O "anónimo" que certamente deve ser meu conhecido, acaba de me enviar o segunde sermão:

.."..Viva os seus dias como se cada um fosse o último, aproveite,  pois este milagre que é a vida e pense que, apesar dos problemas de saúde que possa ter, há quem esteja bem pior...Abraço."!.

Pois, afinal sempre há Amigos e Amigas, que olham, e cuidam, à distância, pelo nosso bem estar, embora não nos conheçamos. A distância territorial e geométrica pode ser de tal ordem como se  vivessem  na Lua e o Autor deste blog numa rica área Algarvia - Olhão da Restauração. !.....

Bem haja...  Afinal,  até  podem   ter  razão.... O nosso mundo é assim !!!...

Sénior---- pensador !


Refugiados à procura de socorro...



.
O autor, aos 18 anos, em Angola, ainda solteirinho..
 Tá?!...

sexta-feira, 24 de março de 2017

Já me senti afectado, em momentos, com esta publicação

                                              Título de uma  publicação na Internet, Postal...

             Estigma afasta idosos do tratamento da depressão.

Estou a caminho dos noventa anos de idade (90),  e por andar "cansado" da vida,  despertou-me a atenção, este artigo, que me  inspirou vir tomar a iniciativa de o reproduzir, na expectativa, de, quem o ler, poder  sentir-se, igualmente "perturbado "se  tiver também na escadaria que o  há de levar ao "eterno  descanso"...

Reproduzo,  em "foto-montagem", esta programação que vem inserida na Net..


Ora diz o artigo acima publicado, o seguinte, de que vou extraindo, a parte textual  que mais me sensibilizou...

..." A depressão é uma doença mental que afecta mais de 350 milhões de pessoas.  Resulta de uma interacção  complexa de factores sociais,  psicológicos e biológicos.

e agora,  ressalto o seguinte:

"Quando não é diagnosticada a tempo e não se tomam as medidas necessárias para o seu tratamento, esta doença  pode ter consequências graves e levar a uma desfecho fatal ... o
                                                              (suicídio) .
 
Esta doença  envolve episódios depressivos,  recorrentes, perda de apetite, falta de  interesse, energia e motivação para  fazer actividades sociais, ansiedade, perturbações frequentes do sono, sintomas de culpa e baixa auto-estima.

Incluo.me na população mais Sénior, sujeito, portanto a todos os programas que acima são especificados, e definidos. Inclusivamente, já cheguei a ter momentos, instantâneos, que me perpassaram  pela mente, em casos muito especiais, em que me senti impulsionado, a atirar-me  do topo da Torre Eiffel (e sem para-quedas), para baixo,   onde circulam os luxuosos automóveis, na estrada. ( ahahh ! gargalhadas)

Considero este assunto de vital importância, pois ninguém está  livre   de, quando surgem situações de "calamidade", como recurso, tentar o suicídio, afim de se  livrar do empobrecimento recorrente  na mente, em actos  causticantes...

 
Estima da depressão nos idosos...

Tá?!...

quarta-feira, 22 de março de 2017

A verdade sobre a mentira...

Até os maiores filósofos sabem...

A ignorância é uma virtude,  a fonte  inesperada da felicidade. Por muito chocante que possa parecer as pessoas adoram a mentira,  principalmente quando essa mentira proporciona  conforto e felicidade  que, caso a verdade viesse ao de cima,  seria brutalmente terminada.

Não acreditam ? Atentemos,  pois,    no exemplo da mulher que vive na felicidade,  ou o homem,  pois aqui o género  não importa,  ignorando que o seu conjuge partilha  a sua intimidade,  o seu amor e carinho com alguém fora do circulo conjugal.  Alheios a esta realidade,  o homem ou a mulher confabulam  uma realidade familiar idealizada que não poderia estar mais longe da verdade.

Ainda, o caso dos pais  que imaginam a sua prole como  sendo os mais masculinos ou femininos,  ignorando a sua tendência para  gostar de pessoas do mesmo sexo. É frequente  tais indivíduos recearem  assumir as suas  orientações com receio de pôr fim a um estado de felicidade que está dependente da crença numa realidade que não existe.

Mais um exemplo,  o da pessoa que ignora os problemas em que aqueles que são mais próximos atravessam e que,  por via dessa crença,  vive feliz e contente,  numa mentira piedosa.

Há ainda aqueles que, consequência da sua incapacidade para entender a realidade,  vivem alheios aos problemas de um País,  que afinal são também os seus.

É caso para pensar,  afinal o que é isso da realidade,  da  verdade por contraponto à mentira e  à ignorância ?   Será mais feliz aquele ou aquela que vive na ignorância ?

Contam-me que há quem não saiba onde situar Portugal num mapa mundo,  onde é a nossa capital,  quantos segundos existem num minuto,  quantos dias há num ano. Ignoram,  por completo,  a corrupção e a maldade,  vivendo num mundo de faz de conta transmitido diariamente pelas televisões e escarrapachado num écran de computador.

Aconchegadas no conforto da sua ignorância,  estas são as pessoas mais felizes do mundo. Felizardo é aquele que,   encerrado  na sua selva,  vive feliz alheio a tudo.

É mesmo caso  para  dizer...

 A ignorância é mesmo felicidade !

E esta, hein ?... Vejam só....

Somos felizes e não sabemos


A confirmar-se que estamos felizes, talvez os portugueses queiram experimentar um pouco de sofrimento, para desenjoar de tanto nirvana

Quando Pedro Passos Coelho disse, esta semana, que a história dos últimos anos tinha tido um final feliz, muita gente discordou por considerar que isto que vivemos não é felicidade. Eu discordo porque acho que isto não é um final. O que é infeliz.
Cada um terá a sua noção de felicidade, mas é mais difícil divergir naquilo que é ou não um final. Podemos discutir se o copo está meio cheio ou menos vazio (embora, no que me diz respeito, seja raro ter inquietações filosóficas deste tipo, na medida em que bebo quase sempre pela garrafa), mas creio que ninguém hesita acerca do momento em que o copo está completamente vazio. Um final não costuma deixar dúvidas. Mas o FMI continua a vir cá periodicamente, o que parece indicar que isto ainda não acabou. Além de que costuma vir com propostas que não trazem grande felicidade.
No entanto, como já tive oportunidade de observar, com muita perspicácia, o conceito de felicidade muda de pessoa para pessoa. Os fetichistas de pés ficam felizes com a mera contemplação de pés. Talvez o primeiro-ministro seja um fetichista de desemprego. Ou de dívida. Ou de pobreza. Por outro lado, a felicidade do final de uma história depende de quem a conta. Uma história em que o Drácula consegue ferrar o dente no pescoço de um desgraçado não tem, em princípio, um final feliz. A menos que seja o Drácula a contá-la. Para nós, o governo de Durão Barroso não teve um final feliz. Até porque redundou em Santana Lopes. Mas, para Durão Barroso, foi das mais lindas histórias que já se escreveram.
Talvez o problema esteja no próprio conceito de felicidade. É possível que Passos Coelho se satisfaça com pouco (recordo que ele apreciava a companhia de Miguel Relvas). Mas, para o resto do País, creio que a notícia de que isto é felicidade foi recebida com desilusão. De duas, uma: ou a felicidade não é isto ou tem sido muito sobrevalorizada. A confirmar-se que estamos felizes, talvez os portugueses queiram experimentar um pouco de sofrimento, para desenjoar de tanto nirvana.
Há ainda outro problema no conceito de final feliz de Passos Coelho (tão diferente do de certas casas de massagem): para o primeiro-ministro, temos sido todos muito virtuosos. Temos feito sacrifícios, pago dívidas, trabalhado a dobrar (os que têm trabalho). Ora, de acordo com a minha experiência, não é possível ser virtuoso e feliz ao mesmo tempo. A maior parte das coisas que me fazem feliz não são virtuosas, e vice-versa. Ou bem que se é virtuoso, ou bem que se é feliz. Temos de optar. E Passos Coelho também.

Tá?!... 

Isto é só para rir....

Enquanto o adversário dorme  e  vai sonhando   com os seus " carapaus", eu, vitoriosamente descanso sobre o seu "corpinho" almofadado...



e.. ao acordar.... o "gajo" foi-se embora. não sei para onde  !


É assim a vida de cão ....

Olé !...

terça-feira, 21 de março de 2017

Desdramatrização do termo insultuoso "Filho da puta "?!...

Momentos antes de ir para os lençóis  da cama, ontem, despertou-me a atenção  um programa que a Fátima Campos Ferreira (?) iniciou,  na RTP 1, "Prós e Contras", acerca da Prostituição, e sua legalização, que acabou por me prestar atenção e das quais fui obtendo algumas filmagens, como as que se seguem:














  **********************

"Concorda com a legalização da prostituição ?"... era a pergunta que de minuto a minuto surgiu no écran do  programa. Fiquei perplexo com a resposta veiculada na transmissão quanto ao resultados...

SIM  -  71 %.
NÃO -  29 %.

e isto sem identificação sobre o quem era o votante (em percentagem)... HOMEM ou MULHER  ?!...!

Claro que fiz associação sobre a origem do votante, pois presumo que a Mulher, sobre este tema, terá uma percepção diferente da do Homem... ( entendido ? )....

Por uma questão de curiosidade, lembrei-me de recorrer à Net  algo que me ajudasse a interpretar o que pode vir a  acontecer, se surgir alguma legislação, mal interpretada,  que influa o carácter de quem por  vezes insulta o seu inimigo, pronunciado em voz alta... SEU  FILHO  DA  PUTA  ...

e por isso extraí um documento da referida Internet, sobre esta matéria, que reproduzo, de seguida:

 Costuma dizer-se que para boa interpretação, meia palavra basta....

Cuidado portanto ao elaborar Leis, sobre esta delicada matéria, que não faça confundir e aplicar, em caso de litígios, algo em que o sentido da  palavra  "puta", nunca se intrometa, em caso algum, nas discussões de desentendimentos entre as Pessoas. Entendido ?....

Tá?!....